Páginas

24 de agosto de 2013

O acesso à informação é um direito humano fundamental

A IFLA (International Federation of Library Associations), no congresso deste ano (2013), que encerrou há poucos dias, aprovou e publicou a Declaração Internacional sobre bibliotecas e Desenvolvimento, e já está disponível (aqui: http://express.ifla.org/node/6150). Importante documento sobre o papel das bibliotecas no desenvolvimento humano sustentável, parte da premissa de que o acesso à informação é um direito humano fundamental que pode quebrar o ciclo de pobreza e apoiar o desenvolvimento sustentável.
A reter os seguintes princípios:
1. As bibliotecas proporcionam oportunidades para todos (democráticas, por excelência).
2. As bibliotecas capacitam as pessoas para o seu próprio auto-desenvolvimento.
3. As bibliotecas são parte essencial da infraestrutura crítica que suporta a educação, o emprego e o desenvolvimento da comunidade.
4. Os bibliotecários  fornecem orientação especializada.
5. As bibliotecas são parte integrante de uma sociedade que abarca diferentes interesses e assuntos.
6. As bibliotecas devem ser reconhecidas no quadro das políticas de desenvolvimento.
Os responsáveis políticos não podem deixar de potenciar estes poderosos recursos já existentes - as bibliotecas. No nosso caso, Portugal, é de louvar a excelente rede de bibliotecas públicas/municipais, e de exaltar o extraordinário trabalho das bibliotecas escolares que, para além de incontornáveis suportes de apoio à educação, são também (e as bibliotecas públicas sabem-no bem) e a montante, formadoras de novos e mais capacitados leitores (os mesmos que, mais tarde, assumem as bibliotecas da rede pública como serviços indispensáveis).

Sem comentários: