Páginas

15 de fevereiro de 2019

Sob o signo do amor...

...
poemas da literatura em língua portuguesa (Camões, Mário de Sá Carneiro, Eugénio de Andrade, Vasco da Graça Moura...), bela música, românticas canções, frases alusivas ao amor, um tocante teatro de sombras e muita alegria, ecoaram ontem (14/02) na sala de leitura da biblioteca da ESAF, que estava cheia pela evocação do amor e dos afectos, sob diferentes prismas e sensibilidades.
Sim, é em momentos como estes, que congregam a aplicação, mas também o talento de tantos e tantos alunos, do 7.º ao 12.ºano, que nos apetece gritar bem alto: Olá futuro! Pois há que acreditar que a educação que acontece dentro e fora de aula, neste e noutros espaços da escola, é factor de transformação.
Gratos a todos os alunos e professores que, desinteressadamente, fizeram acontecer na manhã de ontem, na biblioteca, um pouco da dinâmica utópica que a escola pode e deve promover - a bem do Amanhã.

12 de fevereiro de 2019

Sob o signo do amor... poesia e música na biblioteca

Cantar o amor tão docemente...
Com o dia de S. Valentim no horizonte, um bom propósito para evocar o amor em sessão de poesia e música na sala de leitura da biblioteca da ESAF. Quinta-feira, 14.Fev., pelas 10h05 na tua biblioteca.

"Eu cantarei de amor tão docemente


Eu cantarei de amor tão docemente,

Por uns termos em si tão concertados,
Que dois mil acidentes namorados
Faça sentir ao peito que não sente.

Farei que amor a todos avivente,

Pintando mil segredos delicados,
Brandas iras, suspiros magoados,
Temerosa ousadia e pena ausente.

Também, Senhora, do desprezo honesto

De vossa vista branda e rigorosa,
Contentar-me-ei dizendo a menor parte.

Porém, pera cantar de vosso gesto

A composição alta e milagrosa
Aqui falta saber, engenho e arte."
                                                        [Luís de Camões]

6 de fevereiro de 2019

Sensibilizar para a Internet Segura de forma mais lúdica e criativa...

Uma das virtudes da pedagogia passa pela vertente do aprender fazendo, como criar estratégias mais ou menos criativas, potencialmente sensibilizadoras e indutoras de mudança comportamental. E assim, por via de uma proposta singela (que para quem trabalha em educação, desde há muito se deu conta) fazer com que o aprendente, ele mesmo, recorrendo a materiais e à orientação e motivação do "ensinante", mobilize estratégias de sensibilização entre pares na exploração de um tema. Desta feita, o tema proposto, por via dos professores que com a biblioteca quiseram articular, foi sensibilizar e alertar para uma Internet melhor, pautada por atitudes e comportamentos seguros e responsáveis. A atividade materializou-se num conjunto de pequenos trabalhos em papel e outros materiais, tendo a Internet e a navegação na rede como fio condutor, sendo que algum do resultado pode agora ser observado na sala de leitura da biblioteca da ESAF.
Gratos aos alunos das turmas envolvidas, nomeadamente alunos do 7.º, 8.º e 9.º anos e Educação Inclusiva que, sob supervisão dos seus professores mostram à comunidade educativa (em alguns dos trabalhos, de forma eminentemente criativa) como se pode alertar e sensibilizar não só para os perigos da Internet, mas sobretudo para as formas positivas de fazer dela um espaço comum de partilha de experiências e saberes.
Por estes dias na sala de leitura da Biblioteca da ES Alcaides de Faria.


Conhecer melhor para melhor navegar na Internet... com segurança e responsabilidade

Ação de sensibilização em prol de uma utilização responsável e conhecedora da Web por parte dos mais jovens, desta feita sob a orientação de uma equipa de agentes da PSP (Escola Segura) que, no dia 5 de fevereiro (este ano, o Dia da Internet Segura), se deslocou à sala de leitura da biblioteca da ESAF para mais uma sessão de esclarecimento pedagogicamente orientada e atenta ao lema de que também depende de nós construir uma Internet Melhor, não obstante os perigos que ela enferma e para os quais devemos estar atentos. Assim aconteceu na terça-feira, pela manhã, perante uma plateia essencialmente constituída por alunos do 3.º Ciclo do Ensino Básico.
A iniciativa enquadra-se na Semana (em curso) da Internet Segura 2019.

Palestra de sensibilização à Internet Segura

Decorre a Semana da Internet Segura, tempo para, junto da comunidade escolar, alertar e sensibilizar para a importância de comportamentos responsáveis quando navegamos online, como também para nos mantermos em guarda face às potenciais ameaças que o acesso à rede mundial de computadores implica. Com vista a esse objetivo: dar a conhecer, consciencializar, promover atitudes e comportamentos mais cautos no ambiente online, começamos a semana com uma ação de sensibilização para jovens do Ens. Secundário sob orientação de um inspetor do DIC da PJ (Braga). Cinco turmas, mais de uma centena de alunos, também professores, tiveram pois a oportunidade de seguir atentamente a apresentação e atender a um conjunto de enquadramentos legais que com a vida online se prendem. Por via de uma estratégia comunicativa clara, e objetivamente impactante, foram abordados temas relacionados com a segurança e o cibercrime, diferentes estratagemas que diariamente proliferam na Internet e onde pode cair o navegador mais incauto; também se falou de questões de identidade digital e responsabilidades inerentes; como ainda de uma problemática que afeta os jovens e tantas vezes traz sofrimento e indignidade, como o ciberbullying
Foi deveras fundamental para os alunos e para a escola uma mais valia poder contar com a colaboração daquela instituição policial, pois, por via da sua abordagem teoricamente sustentada e igualmente suportada na experiência que decorre da investigação, ficou-se com uma ideia substancial de que navegar online implica responsabilidade, mas também informação e conhecimento sobre o que a rede internet pode esconder, não obstante o poder que ela tem nas nossas vidas atuais e as virtualidades positivas que inevitavelmente também proporciona.

4 de fevereiro de 2019

Semana da Internet Segura 2019

No oceano de informação que é a Web, no incomensurável meio que é hoje a Internet, tecido por um número infinito de interacções, e, por conseguinte, onde a questão do bom e mau uso deste meio se coloca a todo o momento, importa sensibilizar quotidianamente os jovens, em se tratando sobretudo de meios educativos (tal como o nosso), dos cuidados a ter e das responsabilidades inerentes aos nosso actos no mundo virtual. 
Assim, de forma mais visível, sendo que no dia a dia essa é também uma preocupação que nos move, desenvolvemos por cá, na biblioteca da ESAF, algumas iniciativas de sensibilização em torno da Internet Segura, contando com a colaboração de alunos e professores, mas também de instituições públicas que connosco vêm colaborar. 
Aqui fica o nosso cartaz alusivo à Semana da Internet Segura, que se iniciou hoje, dia 4, e vai até 8 de Fevereiro.

18 de janeiro de 2019

Gatos, Livros e Literatura

A literatura está cheia de gatos, de gatos a sério. Num romance, numa novela, num poema, não raro nos deparamos com uma personagem felina, seja porque faz parte da intriga, seja porque encarna uma personagem, seja porque é objecto de uma elegia, seja porque se enquadra num determinado cenário ou faz mesmo parte de algum enquadramento simbólico a desafiar a interpretação do leitor. 
A literatura está cheia de gatos. Que o digam os leitores, mas também os escritores! Hemingway, Jorge Luis Borges, Cortázar, Doris Lessing, Murakami, Sepúlveda, Jorge Amado, Vinícius de Moraes, Ary dos Santos, Eça de Queirós, Manuel António Pina, entre tantos e tantos outros que, na vida ou pela obra, conviveram com gatos. Gatos e mais gatos (que dão título a um belo livro de Doris Lessing, prémio nobel da Literatura 2007) .
E é assim que, por via dos amigos gatos (e diz-se que janeiro e fevereiro são meses de gatos), gizamos por cá uma singela e interessante iniciativa em torno dos gatos, ou antes do que se diz por eles. 
Eis que num quadro negro, logo quem dobra a entrada da biblioteca da ESAF, nos surge a silhueta de um amigo felino como que a orientar os bigodes para uma série enigmas dispersos em volta; enigmas à espera de quem os decifra. 
É fácil e engraçado: basta-te, a ti leitor, um aplicativo da web que tão rápido se instala como logo decifra a informação que se esconde naquele tipo de códigos (QR codes). 
O que será, que será? 
Um poema, um naco de prosa, uma frase solta, o princípio de um conto… e, por eles, parte à descoberta de autores e de livros que temos por cá. A requisitar, se quiseres, e a ler, com prazer. 
Olha que prometem! Queres descobrir?
[Ah! Para além do curioso gato (instalação da prof.ª Maria J. Oliveira, de Artes) está por ali um belíssimo (só um?) poema de Manuel António Pina, poeta, cronista, que tanto amava os gatos, prémio Camões 2011, e tanto mais... e que nos deu o grato privilégio de por cá - biblioteca da ESAF - ter passado nesse ano de 2011 deixando tão gratificantes memórias.]

14 de janeiro de 2019

Fase Municipal do Concurso Nacional de Leitura 13.ª ed. (2018/19) - Barcelos


Os títulos escolhidos para leitura (segundo informação que nos chega dos serviços da Biblioteca Municipal de Barcelos) no quadro da fase municipal (Barcelos) do Concurso Nacional de Leitura (2018/19, 13.ª ed.), a realizar no próximo dia 15 de fevereiro, manhã (parte escrita) e tarde (desempenho oral), são: 

O secador de livros, de Carla Maia de Almeida [1.º ciclo]
Doutora tiradentes, de David Walliams [2.º ciclo]
Os livros que devoraram o meu pai, de Afonso Cruz  [3.º ciclo]
O retrato de Dorian Gray, de Oscar Wilde [Ens. Secundário]

Na nossa escola, a Secundária Alcaides de Faria, os alunos apurados para esta fase municipal (cuja lista ordenada de apuramento se encontra afixada nos serviços da Biblioteca Escolar) pertencem aos escalões: 3.º Ciclo e Ensino secundário, sendo que os títulos indicados para esses níveis se encontram disponíveis no nosso fundo documental.
Boas leituras, boa preparação e votos de proficiente desempenho para o concurso.

11 de dezembro de 2018

Um direito

70 anos! 
70 anos da Declaração dos Direitos Humanos! Parecem muitos, mas digo eu: Só 70! Estamos a falar dos direitos do Homem, dos nossos direitos!! Se o ser humano é assim um ser tão racional, tão inteligente, porque só pensou em tal coisa há 70 anos? Irónico não! Mas enfim, não estou aqui para fazer qualquer crítica, mas para relembrar quão importantes são os direitos humanos e apelar à necessidade de os tornar universais.
Direitos! Declaração dos Direitos Humanos! Estas são palavras tão usadas no dia a dia, mas será que sabemos realmente o que significam?! A maioria de nós não!!
Mas digo-vos eu o que é um direito!
Primeiro, um direito é como o nosso coração, nasce connosco, é essencial à nossa sobrevivência, mantem-nos vivos, permite-nos ter emoções….
Um direito é um sol que brilha de dia, que ilumina e aquece, e é uma estrela que reluz à noite, fazendo companhia à escuridão.
Um direito é um sorriso que se destaca entre muitos, um sorriso que tanto sonho ver na criança solitária do bairro ao lado!!
Um direito não é apenas mais uma gota de água, é um oceano inteiro!! Não é uma simples lágrima que corre na face do outro, é antes a alegria que o fez chorar!!
Um direito é o sentido de acordar de manhã, de viver intensamente cada dia. É o desejo e a esperança de muitas pessoas por esse mundo fora, talvez a única coisa que lhes mudaria completamente a vida: um direito.
Um direito é, então, uma força nunca vista, uma riqueza que se esconde, é ouro disfarçado em pedra.
Um direito é um elo de ligação, é uma marca que não desaparece nem disfarça, é a grande igualdade que une as nossas diferenças!!
Um direito é a paixão, é o carinho, a atenção e conforto que todos queremos ter.
Um direito é o nosso amparo nas situações difíceis, é o consolo a que nos agarramos para ultrapassar os obstáculos e é o suporte que nos ajuda a levantar!!
Um direito é tudo isto e muito mais! É, sobretudo, a razão de estarmos a comemorar este dia e de eu estar aqui a falar convosco!!
Mas a minha questão é: se os direitos são assim tão poderosos e maravilhosos, como é que há ainda tantas pessoas que não os têm? Não consigo perceber, a sério que não! O problema estará nos direitos ou no homem? Acho que todos sabem a resposta…!
Sendo assim, respeitem e lutem pelos vossos direitos e os dos outros, pois, nada nem ninguém os pode derrubar!!! Eles são parte de nós!!!!
Por isso: VIVA A DECLARAÇÃO DOS DIREITOS HUMANOS!!!

[Texto da aluna Marisa Viana, do 11.ºC, da Escola Sec. Alcaides de Faria, proferido pela própria aquando da celebração dos 70 anos da Declaração Univ. dos Direitos Humanos, realizada ontem na sala de leitura da biblioteca escolar da ESAF]

70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos

Celebrámos ontem (10/12) os 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos. A iniciativa, que decorreu em três locais da ES Alcaides de Faria (pátio de entrada, espaço exterior e sala de leitura da biblioteca escolar), envolvendo vários alunos e o contributo de alguns professores, assinalou dignamente a importância da data, assumindo, ato contínuo, uma vertente sensibilizadora para a consciencialização do valor dos direitos inalienáveis do ser humano.
Foram interpretados temas musicais, lidos poemas, lançados balões com frases alusivas aos direitos humanos... uma simbólica largada de pombos, e ainda a apresentação de uma breve mas tocante dramatização em cenário de "teatro de sombras" - a voz das sombras, a voz "daqueles que não têm voz".
A imagem pode conter: 1 pessoa, ar livre
A imagem pode conter: 5 pessoas, interiores
A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e interiores


1 de dezembro de 2018

Li, gostei e recomendo...a palavra aos leitores

O que nos diz Marisa Viana, aluna do 11.º C, sobre este livro que leu, gostou e recomenda:

A minha breve história
Autor: Stephen Hawking
Editor: Gradiva
Páginas:116
Ano de publicação: 2014
Categoria: Autobiografia



“Após ter ficado deslumbrada por uma das grandes obras de Stephen Hawking – “A teoria de tudo – A origem e o destino do Universo” fui tentada a ler os seus outros livros. Como me tinham oferecido no meu aniversário, comecei pel` A minha breve história.
Em contraste com os restantes livros, mais variados em divulgação científica e conceitos teóricos, este apresenta-se como um livro autobiográfico. Retrata, então, a vida deste magnifico génio, desde a sua infância até ao momento em que o escreve, relatando todas as peripécias e obstáculos que se viu obrigado a enfrentar, dando especial relevo à esclerose lateral amiotrófica com a qual teve que viver desde os seus vinte e um anos. Foi precisamente essa possibilidade de uma morte precoce responsável pela coragem, força e espírito de sacrifício que o acompanharam até morte e que o fez aproveitar muitos bons aspectos da vida, quer como marido e pai, quer como cientista.
Em suma, este relato maravilhoso e sincero é deveras surpreendente, uma vez que Stephen Hawking, já conhecido por dar a conhecer o universo e os seus acontecimentos, desta vez, optou por olhar para dentro de si próprio, permitindo-nos observar, de um modo comovente, uma mente brilhante e uma personalidade reveladora, que só um sábio como ele pode ter.”
[Caro leitor da comunidade escolar da ESAF, este é um livro que possuímos no acervo da nossa biblioteca e, claro, também o podes requisitar]

Evocar e celebrar os Direitos Humanos

[cartaz original de Maria J. Oliveira]
Dentro de dias celebraremos os 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos
A 10 de dezembro de 1948, num tempo ainda marcado pelas feridas abertas de uma guerra mundial mortífera e de atrocidades inomináveis, a Assembleia Geral das Nações Unidas proclamava uma carta fundamental para afirmação dos direitos inalienáveis e indissolúveis do ser humano. Um marco histórico, um documento incontornável que, infelizmente, continuamos a não ver concretizado em tantos locais do nosso planeta. 
Importa pois informar, ler, refletir sobre o alcance desta carta de princípios. Ao nosso modo, também por cá, no seio da comunidade escolar e com a comunidade escolar, pretenderemos sensibilizar para a nobreza daqueles princípios, cientes dos deveres que convocam. 

Ecos da Semana da Ciência e da Tecnologia #6

A Semana da Ciência e Tecnologia encerrou a 24 de novembro, jornada em que se assinala o Dia Nacional da Cultura Científica, instituído em 1996 pelo então ministro da C & T, Mariano Gago (de tão boa memória), em homenagem a Rómulo de Carvalho / António Gedeão, professor, divulgador de ciência e poeta. 
A este propósito decorreu a 23/11, na biblioteca escolar da ES Alcaides de Faria, uma verdadeira jornada de tributo à ciência e aos cientistas. Dela se dá conta neste "post", por via das palavras de um dos alunos (Marisa Viana) da turma (11.ºC); turma que concebeu, preparou e apresentou a sessão "A Ciência vem à biblioteca".
A palavra, pois, à Marisa para nos relatar como foi:
“Ontem, dia 23 de novembro, quase no culminar de uma semana dedicada à ciência e à tecnologia, nós, a turma 11ºC, tomamos a iniciativa de comemorar o Dia da Cultura Científica (que hoje, 24/11, se assinala) na biblioteca da ESAF. Para isso, organizamos a atividade “A Ciência vem à Biblioteca”, que contou com a declamação de poemas, a realização de experiências, divertimento, entre outros, proporcionando ao nosso público uns doces momentos, mergulhando no vasto mar de conhecimentos que é a Ciência. 
Desde experiências envolvendo fúria e ânimo até poemas calmos e confortantes, esta atividade foi, de facto, uma mistura de sentimentos, de ideias e opiniões, permitindo a passagem da mensagem sobre a Ciência aproximando-a do público. Devido ao esforço e trabalho de toda a turma e ainda com a colaboração da audiência, constituída por alunos como nós, conseguimos, realmente, mostrar a importância da Ciência nas nossas vidas que, aparentemente parecem simples e curtas, mas, na verdade, escondem grandes mistérios. Além disso, através desta atividade, tivemos a oportunidade de revelar aos presentes que na Ciência também há obstáculos e desilusões, assim como os há nas nossas vidas. Mas o mais importante é que todos devemos agir como os cientistas, no nosso dia a dia, ou seja, devemos ter espírito de persistência e a capacidade de aceitar as falhas e aprender com elas. Por último, queríamos agradecer a todos os que vieram assistir, aos meus colegas pelo trabalho que tiveram, aos professores que também intervieram neste processo e à biblioteca por nos ter convidado. E ainda vos deixo aqui um conselho: Não precisam de fazer parte da Ciência, mas devem deixar que a Ciência faça parte de vós!”
[Gratos aos alunos do 11.ºC, aos professores Cecília Esteves e David Ferreira, e a todos aqueles que a seu modo também contribuíram um pouco para a materialização desta sessão]


Ecos da Semana da Ciência e da Tecnologia #5

Quinta-feira, 22/Nov., num ambiente de ciência com humor e muita, muita alegria, alunos da professora Madalena Pinto, encantaram e divertiram os muitos alunos e outros elementos da comunidade escolar, que encheram por completo os dois pisos da biblioteca da ESAF. Ao longo de mais de uma hora, a biblioteca foi palco de um interessante espetáculo, onde a diversão aliada à ciência marcou presença. Numa sucessão de breves mas cómicos apontamentos sobre cientistas e inventos, interpretados por alunos de diferentes anos de escolaridade; com lugar para a música e canções na onda, e com a dança de permeio, fez-se menção à ciência de forma lúdica e motivadora.
Assim acontece na Semana da Ciência e Tecnologia da ESAF!