Páginas

14 de dezembro de 2019

Direitos - "o reverso da medalha"

Encerramos a semana de evocação dos 71 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos com a transcrição de um texto de Marisa Viana (aluna do 12.ºC da ESAF), lido pela própria no final da sessão que celebrou, a 10 de dezembro, tão importante efeméride, não de forma acrítica ou passiva, mas sob o signo do discernimento e da clarividência que tão incontornável problemática suscita, hoje como em todos os dias, na escola como na rua, no trabalho como nas demais ocupações do ser humano.
Aqui partilhamos o texto, dele ressaltando a nota de que a par de um direito lá está um dever, porque importa salientar que existem deveres e obrigações de todos e de cada um para com a Humanidade.
...
Um direito: “o reverso da medalha”

Todos falamos de direitos e mais direitos: “Eu tenho direitos”, “Ele tem direitos” … e apenas nos preocupamos em salvaguardar os nossos direitos, sem nos apercebermos que para cada cara de uma moeda existe uma coroa. Porque não dizer “Eu tenho deveres”, “Ele tem deveres” e “Para que eu tenha direitos tenho de ter deveres”? 
Aí está já um dever: ter consciência de que sem deveres não há direitos. Porque na sombra de um direito esconde-se um dever.
Se nos consideramos seres racionais e “superiores”, então temos o dever de usar a nossa consciência nas nossas atitudes e de nos comportarmos como uma criatura digna. Porque na sombra de um direito esconde-se um dever. 
Temos o dever de evoluir a cada dia que passa, no entanto, de uma forma sustentável, considerando o planeta Terra como o nosso único lar e que, portanto, precisa de ser cuidado e conservado. Porque na sombra de um direito esconde-se um dever. Não temos o direito de prejudicar as espécies de seres vivos que coexistem connosco, mas o dever de as proteger, respeitar e ajudar. Tal também e aplica aos animais domésticos. É nosso dever colocarmo-nos na pele deles e compreender que não merecem ser maltratados, mas antes entregues a um lar e a uma família, onde possam receber carinho. Sim, pois os animais também têm direitos. Porque na sombra de um direito esconde-se um dever.
É nosso dever contribuir para a erradicação das guerras, da pobreza e da fome. Todos temos direito à paz, à alimentação, mas é necessário que exista a obrigação de acabar com a tortura, os conflitos, a desumanidade e distribuir os alimentos disponíveis no planeta por todas as pessoas. Porque na sombra de um direito esconde-se um dever.
Os nossos deveres passam também por aceitar o nosso colega de outra etnia, de o inserir na comunidade, de partilhar mutuamente ideias, crenças, cultura. E também por respeitarmos e ajudarmos os incapacitados, permitindo-lhes o acesso a vários cargos e profissões. Porque na sombra de um direito esconde-se um dever.
A criança tem direito a brincar, todavia, tem os seus pequenos deveres, igualmente importantes para o seu desenvolvimento. O aluno tem o direito à educação e o dever de aprender e aplicar os seus conhecimentos para o bem da humanidade. 
Porque na sombra de um direito esconde-se um dever. Esconde-se um dever, mas é fácil de encontrá-lo se estivermos dispostos a procurá-lo. Cada direito tem o seu dever análogo. É ao procurar um dever e ao cumpri-lo que se constrói um mundo melhor, de direitos e deveres. Porque na sombra de um direito esconde-se um dever.
10 de dezembro de 2019

Sem comentários: