Páginas

21 de março de 2015

Dos clássicos greco-latinos aos Lusíadas; e mais um momento poético muito especial

Manhã de sexta-feira, 20 de Março, último dia de aulas do período, fecho da Semana da Leitura, véspera do Dia Mundial da Poesia. Os clássicos, Camões e Pessoa, em diferentes abordagens, marcaram presença fugaz mas intensa.
José Veiga, professor na casa, falou-nos de livros matriciais da cultura greco-latina e de um outro tão simbólico para a nossa portugalidade. Falou-nos do jogo das influências literárias e poéticas e de como a aventura começou na Ilíada, nas guerras de Tróia, sem esquecer a épica Odisseia. Aportou às costas de Itália e lembrou a latina Eneida. Chegou, enfim, às costas atlânticas de um Portugal que partia mar fora, à descoberta do largo mundo, no seu século de ouro, para assim desembarcar nas páginas d`Os Lusíadas. Disse-nos como os livros são devedores de livros, de como os clássicos influenciaram Camões e de como tais influências perpassam a tecedura dos seus "Cantos" onde algo de novo se canta - a gesta dos portugueses. Houve ainda tempo para evocar o Adamastor e a sua história, tempo ainda para algumas estâncias (explicadas) do Canto V da obra épica... e quem o ouviu gostou.
Mas dito Camões um salto para outro dos grandes da nossa literatura, Fernando Pessoa, pela voz da professora Maria J. Simões, que nos leu poemas da obra Mensagem
E no fecho do momento de cultura e poesia, um pouco de música, dança e também a graça segura dos jovens diseurs da Educação Especial, numa breve mas vibrante intervenção que marcou o culminar da nossa Semana da Leitura; ou, de outro modo, a premência de que importa manter a centelha da leitura.
Boas leituras! 

Sem comentários: