Páginas

25 de abril de 2008

O espírito de Abril de 74

Sessão cultural evocativa do espírito de Abril
"
Abril em embrião"
fotos: Marta Pacheco


Assistiu-se ontem, no espaço da Biblioteca da ESAF, ao momento culminante de uma semana dedicada à celebração da Revolução de Abril 74 e aos horizontes de liberdade que ela nos descerrou.

Foram várias as iniciativas, levadas a cabo na BE, evocando Abril e fazendo chegar, a todos aqueles que marcaram presença nas sessões, os ecos e o perfume desse marco da nossa História recente. Mesmo os que não tiveram a oportunidade de assistir às sessões nocturnas (os alunos do turno diurno) se depararam, de 2ª a 5ª feira, no espaço da biblioteca, com a constante presença do vermelho dos cravos que, por si, induzia ao questionamento. Ali estavam, lembrando aos menos informados que o 25 de Abril se aproximava e merecia a nossa homenagem. Homenagem tão mais pertinente quanto se sabe, pelas sondagens recentes, do desconhecimento que por aí grassa entre camadas mais jovens acerca das "portas que Abril abriu". Lembrar Abril aos mais jovens, é um acto pedagógico que capacita para o exercício da liberdade e, por consequência, da cidadania democrática. É imperioso fazê-lo. Foi esse desafio que a BE assumiu levar a cabo, ao lançar o repto a membros da comunidade educativa que logo se aprontaram à realização de uma série de eventos a lembrar o espírito de Abril. Alguns dos nossos professores e alunos, trabalharam para presentear, de modo sério mas criativo, a comunidade escolar com estas iniciativas. E, por isso, foi com muita alegria que todos vimos a evocação de Abril, do antes e do depois, culminar na esplêndida sessão de ontem à noite, que contou não apenas com a alegria e a irrepreensível representação dos professores: Virgínia Rafael (a grande mentora da apresentação - e que belo texto aquele! Forte, pungente, acutilante!), Marieta Barbosa, Rui de Campos e José Manuel Veiga; também das alunas: Ana Mariz, Inês Rafael, Joana Melo e Sofia Vintena; não apenas, dizíamos, mas também com uma das maiores audiências que a biblioteca já recebeu. Foi uma noite que não vamos esquecer.
De segunda a quinta-feira, valeu de todo a pena comemorar a semana de 25 de Abril, ainda com o gosto muito especial de, no seu seio, contar com a celebração do Dia Mundial do Livro.

Um agradecimento a todos aqueles que possibilitaram tudo isto e que, pelo mesmo acto, salientaram o valor que uma biblioteca pode e deve ter na formação e enriquecimento de todos os que a procuram. Os livros e os universos que encerram, os recursos educativos que diariamente nos possibilita, as pessoas que, dia após dia, se afadigam para tornar isso possível (muito para além do seu horário), as colaborações que chegam sem esperar nada em troca, tornam a biblioteca um local especial, um local de encontro com o saber e com as literacias. Afinal, um espaço de diálogo, diálogo com a Cultura.

1 comentário:

Marta Barbosa disse...

Indescritível a grandiosidade deste espectáculo que conseguiu sintetizar o antes, o durante e o depois do 25 de Abril e sobretudo, chamar a atenção para o facto de terem passado já 34 anos e ainda podermos encontrar muitas vezes o cravo "em embrião". Fantástico! :)
Muitos parabéns !