Páginas

10 de dezembro de 2014

Evocação da Declaração Universal dos Direitos Humanos na ES Alcaides de Faria

No aniversário dos 66 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos ( ONU, 10 de dezembro de 1948) evocamos, como tem sido prática, o valor dos direitos humanos na configuração de um mundo melhor, mais justo, mais harmonioso, mais digno... um mundo de direitos e de deveres.
Para além da evocação gráfica do dia e do seu significado, na parte da manhã tivemos a oportunidade de receber, na sala de leitura da biblioteca da ESAF, uma representante da Amnistia Internacional que, perante alunos do 3.º ciclo do Ensino Básico, sensibilizou para a importância desta organização em prol de situações de justiça e da rejeição de injustiças e arbitrariedades, que ainda ocorrem nos mais diversos locais do mundo. Contamos ainda com a presença de uma representante da Rede de Bibliotecas Escolares de Barcelos que nos falou sobre o papel das diferentes bibliotecas e escolas do concelho, dos seus alunos e agentes educativos, na consecução da maratona de cartas da Amnistia. Iniciativa em curso também no nosso Agrupamento.
O dia culminou com a leitura de poesia e uma largada de 30 balões, cada um com a inscrição de um artigo da Declaração Universal dos Direitos Humanos e frases alusivas ao tema. A iniciativa, coordenada pela equipa da biblioteca, contou com a profícua colaboração de vários alunos (do ensino regular e da educação especial) e dos professores Justiniano Mota e Carla Grande. O coordenador da biblioteca, numa breve intervenção, lembrou que a luta pelos direitos humanos é uma tarefa diária e cabe a cada um de nós, em casa, no bairro, na escola, no trabalho, na comunidade. Uma causa que é feita de pequenos gestos de solidariedade e de empatia, mas também de crítica e de não resignação às injustiças, de inconformismo, de modo a que os direitos humanos sejam sempre mais que palavras e se concretizem em atos. 

Sem comentários: