Páginas

1 de março de 2011

Analfabetismo Digital e Controlo Parental em conferência

"Colocar o assunto na agenda das actividades da escola: é mais fácil falar dos perigos, informar sobre as consequências negativas; mas é igualmente importante sublinhar a criatividade, a participação e a cidadania." Tomamos estas palavras da página que encerra o booklet "Internet e redes sociais - tudo o que vem à rede é peixe?" (Edumedia, 2011), a última de três brochuras reflexivas em torno da interacção entre as gerações mais novas e os media, da televisão à Internet, passando pelos videojogos. Sara Pereira, Luís Pereira e Manuel Pinto, são os autores desses três booklets, edição Edumedia - Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade (Universidade do Minho).
Estas obras -  Como TVer  / Videojogos - saltar para outro nível  / Internet e redes sociais - respectivamente publicadas em 2009, 2010 e 2011, cujo desiderato passa pelo fornecimento "aos pais e outros agentes educativos de alguns elementos que permitam promover, junto dos mais novos, um consumo e um uso activo e crítico dos meios de comunicação" (in booklet: Como TVer, Edumedia, 2009), chegaram-nos às mãos via Luís Pereira, doutorando na Universidade do Minho, investigador no domínio da Educação para os Media, que na noite de sexta-feira, 25 de Fevereiro, se deslocou à nossa escola (numa iniciativa promovida pelo PTE em articulação com a BE) para a apresentação de uma palestra sobre Analfabetismo Digital
A 4.ª sessão do ciclo de palestras, que o PTE da ESAF vem levando a cabo, encheu praticamente o auditório da escola, cuja plateia teve também a oportunidade de seguir, na 2.ª parte, uma palestra em torno da problemática do Controlo Parental por Proximidade, proferida pela Dr.ª Aline Campos, representante da Associação de Pais e Encarregados de Educação da ESAF no Conselho Pedagógico deste estabelecimento de ensino.
Falou-se do acesso à Internet, da implicação dos meios digitais na vida dos jovens, de "nado- digitais" e "imigrantes digitais", de "info-exclusão/inclusão", do que significa "ser alfabetizado hoje", de acesso crítico à informação, de redes sociais e actividades favoritas dos jovens no mundo digital, também de alguns mitos a desconstruir, como assim de controlo parental, no mundo digital cheio de potencialidades quanto de proporcionais responsabilidades.
Duas importantes intervenções (Dr. Luís Pereira e Dr.ª Aline Campos), que mereceram a atenção dos muitos elementos da comunidade escolar presentes, debate de ideias e estimulante confronto de pontos de vista. Várias foram as perguntas que partiram da assistência e mesmo da mesa, que contou  ainda com a presença do coordenador da BE (responsável pela moderação e apresentação dos palestrantes) e do coordenador da Equipa PTE da ESAF.
A tirar uma conclusão desta conferência, vale reiterar que talvez a expressão com que iniciámos o post possa ser esclarecedora, pois ela mesma é um repto: há que colocar mais vezes estes assuntos na agenda das actividades da escola, das escolas afinal! -, pois os principais desafios cruzam-se com o modo como percebemos e lidamos com estas novas realidades, cada vez mais presentes na escola, em casa, na sociedade.

Sem comentários: