Páginas

1 de novembro de 2010

Halloween.2010 - leitura de O Medo

Se a tarde de 5.ª, 28/10, foi de boa prosa inglesa, brilhante na interpretação (e já agora, com brio), a noite desse mesmo dia foi jogo de sombras e de luzes no tecto alto da nossa biblioteca, foi noite de uma só voz para um público mais adulto (alunos do Ens. Nocturno), foi noite de O Medo (de Al Berto), pela voz de José Veiga (prof. colaborador da BE, poeta, também, com dois livros publicados). 
O cenário: uma mesa sobre o primeiro patamar das escadas que levam à mezaninne; cobertura vermelha e sobre esta três velas; iluminação eléctrica no mínimo, imagens difusas com fundo sonoro de excertos de "Santissima dei naufragati" de Vinicio Capossela. No topo da escadaria uma figura de negro de máscara posta, figurando Frankenstein, simbolizando o medo.
O poema: tão prodigioso nas metáforas quanto alucinado, em interpretação vocal límpida e segura, suscitou, no final (e após bis), breve tertúlia entre aqueles que à BE se deslocaram para ouvir poesia, numa noite que já anunciava a invernia. 
De Halloween... o escuro, talvez os fantasmas dos livros, e a máscara de Frankenstein (adereço feito em gesso, que já serviu numa outra actividade cultural levada a cabo no ano passado - Duende).

1 comentário:

Anónimo disse...

Saudades, muitas saudades! :)
De quando a biblioteca é mais do que espaço para ler e se torna palco para conhecer, sentir, pensar.
Que estes momentos nunca acabem. Que haja sempre uma plateia e alguém motivado a oferecer-lhe minutos que valem horas e horas.


Marta Barbosa